Re: Glossário

Bruno Leonardo brunolmfg at gmail.com
Sat Mar 15 11:37:53 CDT 2008


Pessoal,

Concordo plenamente com o Giovanni. O ideal é termos nenhuma palavra
que não seja em português, excluindo claro quando falarmos sobre nome
de diretórios (trunk, branches, tags) e de comandos. Porém, poderemos
ter algumas exceções e sempre devemos buscar uma palavra em português
que possa substituir uma palavra em inglês. Conforme o Giovanni
explanou, uma palavra em português substituta de uma em inglês não irá
soar bem para aqueles que já estão acostumados com SVN, mas isso
ocorre porque até então não tínhamos uma tradução rígida (e talvez
patriota).

A criação do glossário é necessária e talvez podemos partir do
glossário que a tradução anterior estava montando
(http://svn.red-bean.com/svnbook/tags/en-1.4-final/src/pt_BR/GLOSSARIO).
Com certeza, devemos revisar esse glossário e extendê-lo bastante. E
portanto, todos nós tradutores devemos seguir padrões na tradução para
que nossos futuros leitores não fiquem perdidos a verem palavras
diferentes para um mesmo significado, levando-os a associar as
palavras de forma equivocada.

Não sou nenhum especialista em Subversion e muito menos em traduções.
Porém, este é o meu entendimento de como devemos prosseder, e claro,
estamos sempre abertos a discussões úteis e rápidas, pois queremos
alcançar um ótimo nível de tradução sem gastarmos um tempo excessivo.

Abraços.


Bruno Leonardo Gonçalves.


Em 15/03/08, Giovanni Júnior<giovannijunior at gmail.com> escreveu:
> Olá Paulo,
>
> Eu até entendo sua posição. As primeiras fontes tratando de Subversion a que
> todos nós temos acesso são em inglês. Assim, os termos originais em inglês
> estão difundidos. Mas isso só ocorre pela falta de um material de referência
> contendo traduções adequadas para tais termos.
>
> Imagino que isso sempre ocorra quando surgem novos termos na área de
> informática - uma certa inércia para usar sua versão traduzida em português.
> Sempre achamos que os termos originais em inglês soam melhor. Mas precisamos
> pensar que a maioria desses termos já existiam e já tinham um significado
> específico na língua inglesa antes de serem "apropriados" pelo vocabulário
> específico de uma ou outra tecnologia. "Branch" já existia antes do
> Subversion, e significava "ramo". Depois do Subversion, "branch" continua
> significando "ramo". Aliás, o motivo para essa palavra constar do
> vocabulário do Subversion é o seu significado: uma parte que se destaca de
> um fluxo principal. Em inglês, esse conceito é expresso pela palavra
> "branch". Em português, pela palavra "ramo".
>
> No dia-a-dia, podemos usar o termo que considerarmos mais adequado - em
> português ou inglês. Mas eu considero mais coerente que esses termos sejam
> traduzidos sempre que possível no livro (exceto, como mencionei
> anteriormente, em casos especiais - quando se referirem especificamente ao
> nome de um diretório ou de um comando, por exemplo). Os espanhóis
> (http://svnbook.red-bean.com/nightly/es/svn-ch-4.html) e
> italianos
> (http://svnbook.red-bean.com/nightly/it/svn.branchmerge.html)
> já fazem isso. Caso contrário, (exagerando) os leitores vão precisar ter em
> mãos um dicionário de inglês pra ler um livro que já foi traduzido para o
> português.
>
> Escrevendo o e-mail anterior, eu esquecia que já houve um glossário
> (http://svn.red-bean.com/svnbook/tags/en-1.4-final/src/pt_BR/GLOSSARIO)
> numa fase anterior da tradução do livro, o qual recomendava traduções
> inclusive para termos diretamente relacionados ao Subversion.
>
> Concordo, como mencionei no e-mail anterior, que devemos ter uma lista de
> termos que não iremos traduzir. Mas devemos também nos esforçar para
> mantê-la tão pequena quanto possível.
>
> Giovanni Jr.
>




More information about the svn-pt_br mailing list