[svnbook-pt-br commit] r261 - trunk/book

codesite-noreply at google.com codesite-noreply at google.com
Wed Nov 19 21:52:53 CST 2008


Author: mfandrade
Date: Wed Nov 19 19:52:48 2008
New Revision: 261

Modified:
    trunk/book/ch07-customizing-svn.xml

Log:
Tradução do capítulo "Customizando sua Experiência com Subversion",  
subseção "Configuração e o Registro do Windows", até a linha 426.

Modified: trunk/book/ch07-customizing-svn.xml
==============================================================================
--- trunk/book/ch07-customizing-svn.xml	(original)
+++ trunk/book/ch07-customizing-svn.xml	Wed Nov 19 19:52:48 2008
@@ -114,72 +114,75 @@

      <!-- ===============================================================  
-->
      <sect2 id="svn.advanced.confarea.windows-registry">
-      <title>Configuration and the Windows Registry</title>
+      <title>Configuração e o Registro do Windows</title>

-      <para>In addition to the usual INI-based configuration area,
-        Subversion clients running on Windows platforms may also use
-        the Windows registry to hold the configuration data.  The
-        option names and their values are the same as in the INI
-        files.  The <quote>file/section</quote> hierarchy is
-        preserved as well, though addressed in a slightly different
-        fashion—in this schema, files and sections are just
-        levels in the registry key tree.</para>
-
-      <para>Subversion looks for system-wide configuration values
-        under the
-         
<literal>HKEY_LOCAL_MACHINE\Software\Tigris.org\Subversion</literal>
-        key.  For example, the <literal>global-ignores</literal> option,
-        which is in the <literal>miscellany</literal> section of the
-        <filename>config</filename> file, would be found at
+      <para>Além da usual área de configuração baseada em arquivos INI,
+        clientes Subversion que executam sob plataformas Windows podem
+        também podem usar o registro do Windows para armazenar dados de
+        configuração.  Os nomes das opções e seus valores são os mesmos
+        que os dos arquivos INI.  A hierarquia
+        <quote>arquivo/seção</quote> também é preservada, ainda que
+        abordada de maneira ligeiramente diferente—neste esquema,
+        arquivos são apenas níveis na árvore de chaves do
+        registro.</para>
+
+      <para>O Subversion procura por valores de configuração globais em
+        nível de sistema sob a chave
+         
<literal>HKEY_LOCAL_MACHINE\Software\Tigris.org\Subversion</literal>.
+        Por exemplo, a opção <literal>global-ignores</literal>, a qual
+        está está na seção <literal>miscellany</literal> do arquivo
+        <filename>config</filename>, poderia ser encontrada em
           
<literal>HKEY_LOCAL_MACHINE\Software\Tigris.org\Subversion\Config\Miscellany\global-ignores</literal>.
-        Per-user configuration values should be stored under
+        Valores de configuração por usuário devem estar armazenados
+        abaixo de
           
<literal>HKEY_CURRENT_USER\Software\Tigris.org\Subversion</literal>.
        </para>

-      <para>Registry-based configuration options are parsed
-        <emphasis>before</emphasis> their file-based counterparts, so
-        are overridden by values found in the configuration files.  In
-        other words, Subversion looks for configuration information in
-        the following locations on a Windows system; lower-numbered
-        locations take precedence over higher-numbered locations:</para>
+      <para>Opções de configuração baseadas em registro são analisadas
+        <emphasis>antes</emphasis> do que suas contrapartes em arquivo,
+        assim elas são sobrescritas pelos valores encontrados nos
+        arquivos de configuração.  Em outras palavras, o Subversion
+        procura por informação de configuração nos seguintes locais em
+        um sistema Windows; a relação abaixo organiza os locais em ordem
+        dos de maior para os de menor precedência:</para>

        <orderedlist>
          <listitem>
-          <para>Command-line options</para>
+          <para>Opções de linha de comando</para>
          </listitem>
          <listitem>
-          <para>The per-user INI files</para>
+          <para>Arquivos INI por usuário</para>
          </listitem>
          <listitem>
-          <para>The per-user Registry values</para>
+          <para>Valores de registro por usuário</para>
          </listitem>
          <listitem>
-          <para>The system-wide INI files</para>
+          <para>Arquivos INI globais em nível de sistema</para>
          </listitem>
          <listitem>
-          <para>The system-wide Registry values</para>
+          <para>Valores de registro em nível de sistema</para>
          </listitem>
        </orderedlist>

-      <para>Also, the Windows Registry doesn't really support the
-        notion of something being <quote>commented out</quote>.
-        However, Subversion will ignore any option key whose name
-        begins with a hash (<literal>#</literal>) character.  This
-        allows you to effectively comment out a Subversion option
-        without deleting the entire key from the Registry, obviously
-        simplifying the process of restoring that option.</para>
-
-      <para>The <command>svn</command> command-line client never
-        attempts to write to the Windows Registry, and will not
-        attempt to create a default configuration area there.  You can
-        create the keys you need using the <command>REGEDIT</command>
-        program.  Alternatively, you can create a
-        <filename>.reg</filename> file, and then double-click on that
-        file from the Explorer shell, which will cause the data to be
-        merged into your registry.</para>
+      <para>Adicionalmente, o registro do Windows não suporta a noção de
+        algo sendo <quote>comentado</quote>.  No entanto, o Subversion
+        irá ignorar quaisquer opções cujos nome da chave comece com um
+        caracter de cerquilha (<literal>#</literal>).  Na prática,
+        efetivamente isto permite que você comente uma opção do
+        Subversion sem remover a chave inteira do registro, o que
+        obviamente simplifica o processo de restaurar tal opção.</para>
+
+      <para>O cliente de linha de comando, <command>svn</command>, tenta
+        escrever no registro do Windows, e então não tentará escrever
+        uma área de configuração padrão.  Você pode criar as chaves que
+        você precisa usando o programa <command>REGEDIT</command>.
+        Alternativamente, você pode criar um arquivo
+        <filename>.reg</filename>, e então dar um duplo clique nele a
+        partir do Windows Explorer, o que irá fazer com que os dados
+        sejam mesclados ao seu registro.</para>

        <example id="svn.advanced.confarea.windows-registry.ex-1">
-        <title>Sample Registration Entries (.reg) File.</title>
+        <title>Arquivo (.reg) com Entradas de Registro de Exemplo.</title>

          <programlisting>
  REGEDIT4
@@ -224,44 +227,44 @@
  </programlisting>
        </example>

-      <para>The previous example shows the contents of a
-        <filename>.reg</filename> file which contains some of the most
-        commonly used configuration options and their default values.
-        Note the presence of both system-wide (for network
-        proxy-related options) and per-user settings (editor programs
-        and password storage, among others).  Also note that all the
-        options are effectively commented out.  You need only to
-        remove the hash (<literal>#</literal>) character from the
-        beginning of the option names, and set the values as you
-        desire.</para>
+      <para>O exemplo anterior mostra o conteúdo de um arquivo
+        <filename>.reg</filename> que contém algumas das opções de
+        configuração mais comuns e seus valores padrão.  Note a presença
+        tanto de configurações em nível de sistema (para opções
+        relacionadas a proxies de rede) e configurações específicar por
+        usuário (programa editor de texto e armazenamento de senhas,
+        entre outras).  Também note que todas as opções estão
+        efetivamente comentadas.  Você precisa apenas remover o caracter
+        de cerquilha (<literal>#</literal>) do começo dos nomes das
+        opções, e definir os valores como você quiser.</para>

      </sect2>

      <!-- ===============================================================  
-->
      <sect2 id="svn.advanced.confarea.opts">
-      <title>Configuration Options</title>
+      <title>Opções de Configuração</title>

        <!-- TODO(cmpilato): Rework and move this section to the Reference  
-->

-      <para>In this section, we will discuss the specific
-        run-time configuration options that are currently supported
-        by Subversion.</para>
+      <para>Nesta seção, vamos discutir as opções de configuração
+        específicas de tempo de execução que são atualmente suportadas
+        pelo Subversion.</para>

        <!-- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -  
-->
        <sect3 id="svn.advanced.confarea.opts.servers">
-        <title>Servers</title>
+        <title>Servidores</title>

-        <para>The <filename>servers</filename> file contains
-          Subversion configuration options related to the network
-          layers.  There are two special section names in this
-          file—<literal>groups</literal> and
-          <literal>global</literal>.  The <literal>groups</literal>
-          section is essentially a cross-reference table.  The keys in
-          this section are the names of other sections in the file;
-          their values are <firstterm>globs</firstterm>—textual
-          tokens which possibly contain wildcard
-          characters—that are compared against the hostnames of
-          the machine to which Subversion requests are sent.</para>
+        <para>O arquivo <filename>servers</filename> contém opções de
+          configuração relacionadas à camada de rede.  Há dois nomes de
+          seção neste arquivo—<literal>groups</literal> e
+          <literal>global</literal>.  A seção <literal>groups</literal>
+          é essencialmente uma tabela de referência cruzada.  As chaves
+          nesta seção são os nomes de outras seções no arquivo; seus
+          valores são <firstterm>globs</firstterm>—indicadores
+          textuais que possivelmente podem conter caracteres
+          coringa—que são comparados com os nomes de hosts das
+          máquinas às quais as requisições do Subversion são
+          enviadas.</para>

          <programlisting>
  [groups]
@@ -275,144 +278,152 @@
  …
  </programlisting>

-        <para>When Subversion is used over a network, it attempts to
-          match the name of the server it is trying to reach with a
-          group name under the <literal>groups</literal> section.  If
-          a match is made, Subversion then looks for a section in the
-          <filename>servers</filename> file whose name is the matched
-          group's name.  From that section it reads the actual network
-          configuration settings.</para>
-
-        <para>The <literal>global</literal> section contains the
-          settings that are meant for all of the servers not matched
-          by one of the globs under the <literal>groups</literal>
-          section.  The options available in this section are
-          exactly the same as those valid for the other server
-          sections in the file (except, of course, the special
-          <literal>groups</literal> section), and are as
-          follows:</para>
+        <para>Quando o Subversion é usado em rede, ele tenta casar o
+          nome do servidor ao qual está tentando alcançar com o nome do
+          grupo na seção <literal>groups</literal>.  Se encontrar uma
+          correspondência, o Subversion então procura por uma seção no
+          arquivo <filename>servers</filename> com o mesmo nome do grupo
+          em questão.  A partir dessa seção, ele lê as configurações de
+          rede atuais.</para>
+
+        <para>A seção <literal>global</literal> contém as configurações
+          que são feitas para todos os servidores para os quais não haja
+          correspondência na seção <literal>groups</literal>.  As opções
+          disponíveis nesta seção são exatamente as mesmas que aquelas
+          válidas para outras seções de servidores no arquivo (exceto, é
+          claro, a seção especial <literal>groups</literal>), e são como
+          o que se segue:</para>

          <variablelist>
            <varlistentry>
              <term><literal>http-proxy-exceptions</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This specifies a comma-separated list of patterns
-                for repository hostnames that should accessed
-                directly, without using the proxy machine.  The
-                pattern syntax is the same as is used in the Unix
-                shell for filenames.  A repository hostname matching
-                any of these patterns will not be proxied.</para>
+              <para>Isto especifica uma lista de padrões de nomes de
+                hosts separados por vírgulas e que devem ser acessados
+                diretamente, sem que seja por meio de uma máquina de
+                proxy.  A sintaxe desses padrões é a mesma que utilizada
+                no shell do Unix para nomes de arquivos.  Um nome de
+                host de um repositório que corresponda a qualquer desses
+                padrões não será acessado através de um proxy.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>http-proxy-host</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This specifies the hostname of the proxy computer
-                through which your HTTP-based Subversion requests must
-                pass.  It defaults to an empty value, which means that
-                Subversion will not attempt to route HTTP requests
-                through a proxy computer, and will instead attempt to
-                contact the destination machine directly.</para>
+              <para>Isto especifica o nome do host do computador proxy
+                através do qual suas requisições HTTP para o Subversion
+                devem passar.  Seu padrão é um valor vazio, o que
+                significa que o Subversion não tentará rotear
+                requisições HTTP através de um computador proxy, ao
+                invés disso tentando acessar a máquina de destino
+                diretamente.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>http-proxy-port</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This specifies the port number on the proxy host
-                to use.  It defaults to an empty value.</para>
+              <para>Isto especifica o número de porta a ser usada no
+                host proxy.  Seu valor padrão também é vazio.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>http-proxy-username</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This specifies the username to supply to the proxy
-                machine.  It defaults to an empty value.</para>
+              <para>Isto especifica o nome de usuário a ser informado
+                para a máquina proxy.  Seu valor padrão é vazio.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>http-proxy-password</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This specifies the password to supply to the proxy
-                machine.  It defaults to an empty value.</para>
+              <para>Isto especifica a senha do usuário a ser informada
+                para a máquina proxy.  Seu valor padrão é vazio.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>http-timeout</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This specifies the amount of time, in seconds, to
-                wait for a server response.  If you experience
-                problems with a slow network connection causing
-                Subversion operations to time out, you should increase
-                the value of this option.  The default value is
-                <literal>0</literal>, which instructs the underlying
-                HTTP library, Neon, to use its default timeout
-                setting.</para>
+              <para>Isto especifica o total de tempo, em segundos, a
+                aguardar por uma resposta do servidor.  Se você tiver
+                problemas com uma conexão de rede lenta e que façam com
+                que as operações do Subversion terminem por expiração do
+                limite de tempo, você deveria aumentar o valor desta
+                opção.  O valor padrão é <literal>0</literal>, o que
+                instrui a biblioteca HTTP da camada inferior, a Neon,
+                para usar sua própria configuração de limite de
+                tempo.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>http-compression</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This specifies whether or not Subversion should
-                attempt to compress network requests made to DAV-ready
-                servers.  The default value is <literal>yes</literal>
-                (though compression will only occur if that capability
-                is compiled into the network layer).  Set this to
-                <literal>no</literal> to disable compression, such as
-                when debugging network transmissions.</para>
+              <para>Isto especifica se o Subversion deve ou não tentar
+                compactar as requisições de rede feitas a servidores
+                compatíveis com DAV.  O valor padrão é
+                <literal>yes</literal> (ainda que a compactação só irá
+                ocorrer se o suporte a este recurso estiver compilado na
+                camada de rede).  Atribua a esta opção o valor
+                <literal>no</literal> para desabilitar compactação, por
+                exemplo ao depurar transmissões de rede.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>neon-debug-mask</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This is an integer mask that the underlying HTTP
-                library, Neon, uses for choosing what type of
-                debugging output to yield.  The default value is
-                <literal>0</literal>, which will silence all debugging
-                output.  For more information about how Subversion
-                makes use of Neon, see <xref linkend="svn.developer"  
/>.</para>
+              <para>Isto é uma máscara inteira que a biblioteca HTTP da
+                camada inferior, a Neon, utiliza para escolher que tipo
+                de saída de depuração ela deve gerar.  O valor padrão é
+                <literal>0</literal>, que irá silenciar toda a saída de
+                depuração.  Para mais informações sobre como o
+                Subversion faz uso da biblioteca Neon, veja <xref
+                linkend="svn.developer" />.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>ssl-authority-files</literal></term>
              <listitem>
-              <para>This is a semicolon-delimited list of paths to files
-                containing certificates of the certificate authorities
-                (or CAs) that
-                are accepted by the Subversion client when accessing the
-                repository over HTTPS.</para>
+              <para>Isto é uma lista de caminhos delimitada por
+                pontos-e-vírgulas, para os arquivos que contenham
+                certificados das autoridades certificadoras (os CAs) que
+                são aceitas pelo cliente Subversion quando acessando
+                repositórios sob HTTPS.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>ssl-trust-default-ca</literal></term>
              <listitem>
-              <para>Set this variable to <literal>yes</literal> if you
-                want Subversion to automatically trust the set of
-                default CAs that ship with OpenSSL.</para>
+              <para>Defina esta variável para <literal>yes</literal> se
+                você quer que o Subversion confie automaticamente no
+                conjunto padrão de CAs que vêm com o OpenSSL.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>ssl-client-cert-file</literal></term>
              <listitem>
-              <para>If a host (or set of hosts) requires an SSL client
-                certificate, you'll normally be prompted for a path to
-                your certificate.  By setting this variable to that
-                same path, Subversion will be able to find your client
-                certificate automatically without prompting you.
-                There's no standard place to store your certificate on
-                disk; Subversion will grab it from any path you
-                specify.</para>
+              <para>Se um host (ou um conjunto de hosts) necessitar de
+                um certificado SSL de cliente, você provavelmente será
+                solicitado a informar um caminho para seu certificado.
+                Ao definir esta variável para o mesmo caminho, o
+                Subversion será capaz de encontrar seu certificado de
+                cliente automaticamente sem precisa lhe solicitar esta
+                informação.  Não há um local padronizado para armazenar
+                seu certificado de cliente no disco; o Subversion
+                conseguirá lê-lo a partir de qualquer caminho que você
+                especificar.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
            <varlistentry>
              <term><literal>ssl-client-cert-password</literal></term>
              <listitem>
-              <para>If your SSL client certificate file is encrypted
-                by a passphrase, Subversion will prompt you for the
-                passphrase whenever the certificate is used.  If you
-                find this annoying (and don't mind storing the
-                password in the <filename>servers</filename> file),
-                then you can set this variable to the certificate's
-                passphrase.  You won't be prompted anymore.</para>
+              <para>Se seu arquivo do certificado de cliente SSL estiver
+                criptografado com uma frase-senha, o Subversion irá lhe
+                pedir que você forneça a frase-senha toda vez que
+                certificado for usado.  Se você achar isto um estorvo (e
+                se não se importa em deixar a senha armazenada no
+                arquivo <filename>servers</filename>), então você pode
+                definir esta variável para a frase-senha do certificado.
+                Assim, esta informação não mais lhe será
+                solicitada.</para>
              </listitem>
            </varlistentry>
          </variablelist>


More information about the svn-pt_br mailing list