[svnbook-pt-br commit] r290 - trunk/book

codesite-noreply at google.com codesite-noreply at google.com
Sun Nov 23 08:12:29 CST 2008


Author: mfandrade
Date: Sun Nov 23 06:11:49 2008
New Revision: 290

Modified:
    trunk/book/ch06-server-configuration.xml

Log:
Revisão ortográfica automatizada (via aspell) do capítulo 6 - Configuração  
de Servidor.

Modified: trunk/book/ch06-server-configuration.xml
==============================================================================
--- trunk/book/ch06-server-configuration.xml	(original)
+++ trunk/book/ch06-server-configuration.xml	Sun Nov 23 06:11:49 2008
@@ -106,7 +106,7 @@
            </row>

            <row>
-            <entry>Opções de authorização</entry>
+            <entry>Opções de autorização</entry>
              <entry>acesso leitura/escrita pode ser dado para o
                repositório como um todo, ou especificado por
                caminho</entry>
@@ -403,7 +403,7 @@

          <listitem>
            <para>Se você já tiver uma infraestrutura fortemente baseada
-            em contas SSH, e se seus usuários já possuirem contas no
+            em contas SSH, e se seus usuários já possuírem contas no
              servidor, então faz sentido implantar uma solução usando o
              svnserve sobre SSH.  Caso contrário, não recomendamos esta
              opção largamente ao público.  Ter seus usuários acessando o
@@ -692,7 +692,7 @@
          <para>Uma vez que o serviço esteja definido, ele pode ser
            parado, iniciado, ou consultado usando-se as ferramentas GUI
            (o painel de controle administrativo Serviços), bem como
-          através da linha decomando:</para>
+          através da linha de comando:</para>

          <screen>
  C:\> net stop svn
@@ -861,7 +861,7 @@
  </screen>

          <para>De fato, as configurações deste exemplo são os valores
-          default para as variáveis, você poderia esquecer de
+          padrão para as variáveis, você poderia esquecer de
            definí-las.  Se você quer ser ainda mais conservador, você
            pode bloquear o acesso anônimo completamente:</para>

@@ -971,7 +971,7 @@
          este recurso de cache de senhas.  Ao usar URLs
          <literal>svn+ssh://</literal>, entretanto, os usuários podem ser
          incomodados repetidamente pelo <command>ssh</command>
-        solicitando senhas a cada conexão que inicie.  A solição é usar
+        solicitando senhas a cada conexão que inicie.  A solução é usar
          uma ferramenta separada para cache de senhas do SSH como o
          <command>ssh-agent</command> em um sistema Unix-like, ou o
          <command>pageant</command> no Windows.</para>
@@ -979,7 +979,7 @@
        <para>Quando executada sobre um túnel, a autorização é
          principalmente controlada pelas permissões do sistema
          operacional para os arquivos da base dados do repositório; o que
-        é praticamente o mesmo como se Harry estivesse accesando o
+        é praticamente o mesmo como se Harry estivesse acessando o
          repositório diretamente através de uma URL
          <literal>file://</literal>.  Se múltiplos usuários no sistema
          vão acessar o repositório diretamente, você pode querer
@@ -1163,7 +1163,7 @@
            <command>svnserve -t</command> para assumir que o argumento
            informado é um nome de usuário autenticado.  Não fosse pelo
            <option>--tunnel-user</option> pareceria como se todos os
-          commits viéssem de uma única mesma conta de sistema
+          commits viessem de uma única mesma conta de sistema
            compartilhada.</para>

          <para>Uma última palavra de precaução: dando acesso ao usuário
@@ -1467,7 +1467,7 @@
          ler e escrever em seu repositório Subversion.</para>

        <para>Você vai precisar determinar uma configuração do sistema
-        de permissões que satisfaça os requisitos do Subvresion sem
+        de permissões que satisfaça os requisitos do Subversion sem
          causar problemas em nenhuma página ou script previamente
          instalado.  Isto pode significar alterar as permissões de seu
          repositório Subversion para corresponder àquelas em uso por
@@ -1523,7 +1523,7 @@
        </itemizedlist>

        <para>Certamente, você pode já ter definido um hook script para
-        previnir commits (veja <xref
+        prevenir commits (veja <xref
          linkend="svn.reposadmin.create.hooks"/>).  Mas conforme você for
          lendo, verá que também é possível usar os métodos inerentes ao
          Apache para restringir o acesso de maneiras específicas.</para>
@@ -1543,7 +1543,7 @@

          <screen>
  $ ### Primeira vez: use -c para criar o arquivo
-$ ### Use -m para usar cripgrafia MD5 na senha, o que é mais seguro
+$ ### Use -m para usar criptografia MD5 na senha, o que é mais seguro
  $ htpasswd -cm /etc/svn-auth-file harry
  New password: *****
  Re-type new password: *****
@@ -1882,7 +1882,7 @@
    AuthName "Subversion repository"
    AuthUserFile /caminho/do/arquivo/users

-  # Para quaiquer operações além destas, requeira um usuário autenticado
+  # Para quaisquer operações além destas, requeira um usuário autenticado
    <LimitExcept GET PROPFIND OPTIONS REPORT>
      Require valid-user
    </LimitExcept>
@@ -2151,7 +2151,7 @@

            <para>Seu navegador web entende apenas HTTP padrão.  Isso
              significa que ele apenas sabe como obter (GET) URLs
-            públicas, as quais representam as últimas versõs dos
+            públicas, as quais representam as últimas versões dos
              arquivos e diretórios.  De acordo com a especificação
              WebDAV/DeltaV, cada servidor define uma sintaxe de URL
              particular para versões mais antigas dos recursos, e esta
@@ -2171,7 +2171,7 @@
              navegador web, entretanto, você precisar usar software de
              terceiros.  Um bom exemplo disto é o ViewVC
              (<ulink url="http://viewvc.tigris.org/"/>).  Originalmente o
-            ViewVC foi escritp para exibir repositórios CVS pela web,
+            ViewVC foi escrito para exibir repositórios CVS pela web,
              <footnote>
                <para>No início, ele chamava-se  
<quote>ViewCVS</quote>.</para>
              </footnote>
@@ -2327,7 +2327,7 @@
            <literal>GET</literal>, <literal>PUT</literal>, e
            <literal>REPORT</literal>.  Para piorar as coisas, muitas
            operações dos clientes enviam conjuntos de requisições quase
-          idênticas, então é ainda mais difíci diferenciá-las.</para>
+          idênticas, então é ainda mais difícil diferenciá-las.</para>

          <para>O <literal>mod_dav_svn</literal>, entretanto, pode ajudar.
            Ativando um recurso de <quote>log operacional</quote>, você pode
@@ -2394,7 +2394,7 @@

          <para>Vários recursos já providos pelo Apache como um servidor
            Web robusto que é também podem ser aproveitadas para aprimorar
-          as funcionaldades ou a segurança do Subversion.  O Subversion
+          as funcionalidades ou a segurança do Subversion.  O Subversion
            se comunica com o Apache usando o Neon, que é uma biblioteca
            HTTP/WebDAV genérica com suporte a alguns mecanismos como o SSL
            (<foreignphrase>Secure Socket Layer</foreignphrase>, discutida
@@ -2433,7 +2433,7 @@
      <title>Autorização Baseada em Caminhos</title>

      <para>Tanto o Apache como o <command>svnserve</command> são capazes
-      de garantir (ou negar) permisssões aos usuários.  Tipicamente isto
+      de garantir (ou negar) permissões aos usuários.  Tipicamente isto
        é feito considerando todo o repositório: um usuário pode ler o
        repositório (ou não), e pode escrever no repositório (ou não).  No
        entanto, também é possível definir regras de acesso mais
@@ -2505,7 +2505,7 @@
          livro!</para></footnote>.</para>

        <para>Como um exemplo a considerar, veja que o próprio projeto
-        Subverion sempre teve a noção de quem tem permissão para realizar
+        Subversion sempre teve a noção de quem tem permissão para realizar
          alterações em que lugares, mas isto já é o que acaba ocorrendo na
          prática.  Este é um bom modelo de confiança da comunidade,
          especialmente para projetos
@@ -2618,7 +2618,7 @@

      <para>Esta é uma configuração comum; note que não aparece o nome de
        nenhum repositório no nome da seção.  Isto torna todos os
-      repositórios legíveis para todos os usuários.  Uma vez ue todos os
+      repositórios legíveis para todos os usuários.  Uma vez que todos os
        usuários tem acesso de leitura aos repositórios, você pode dar
        permissões <literal>rw</literal> explícitas a certos usuários em
        subdiretórios dentro de repositórios específicos.</para>
@@ -2688,7 +2688,7 @@
        repositório é legível apenas pelo usuário Sally, e o usuário Harry
        dá um checkout num diretório pai, seu cliente vai atender ao
        desafio de autenticação inicial como Harry.  Como o servidor gera
-      uma resposta grande, não há uma forma de re-enviar um desafio de
+      uma resposta grande, não há uma forma de reenviar um desafio de
        autenticação quando encontrar um subdiretório especial; pulando
        assim este subdiretório como um todo, em vez de solicitar que o
        usuário se re-autentique como Sally no momento certo.  De maneira


More information about the svn-pt_br mailing list