uso dos comandos ou termos em ingles como verbos

Marcelo Andrade mfandrade at gmail.com
Sun Nov 23 21:57:48 CST 2008


---------- Forwarded message ----------
From: Alexandre Magno Brito de Medeiros <alexandre.mbm at gmail.com>
Date: 2008/11/23
Subject: Re: uso dos comandos ou termos em ingles como verbos
To: Marcelo Andrade <mfandrade at gmail.com>

2008/11/23 Marcelo Andrade <mfandrade at gmail.com>
>
>    "you have to commit the data"...
>
> (...) "commit" [está] no nosso glossário como "Submeter (v); Submissão (s)"
>
> Tem outros casos similares para "checkout", "update" etc...
>
> Qual é a nossa ação neste caso: (i)deixar o termo original referindo-se
> ao comando, (ii) considerar o termo como verbo e traduzí-lo ajustando a
> frase, (iii) mencionar o termo original entre parênteses (com foreignphrase
> na primeira ocorrência) ou outra alternativa?

Penso que a qualidade da tradução fica bem melhor mantendo o termo
original, por incrível que pareça. Realmente é uma idéia estranha:
"tradução melhor sem traduzir algumas coisas".

O que acontece é que alguns termos de tecnologia já fazem parte do
nosso dia-a-dia como originalmente nos idiomas com o qual foram
originalmente desenvolvidos. Sendo assim a comunicação feita pelo
texto fica muito mais eficiente se abrirmos mão de algumas coisas.

O linguísticos nacionalistas podem não gostar dessa estória,
principalmente os de portugal.

Vejamos alguns exemplos:

- Fazer login / logout / logoff
- Fazer um checkout / checkin / commit
- "Logar"
- "Comitar"

Até mesmo o intercâmbio de conhecimento entre desenvolvedores de
nacionalidades (idiomas) diferentes, fica facilitado. Penso que hoje
as coisas já são naturalmente assim. Querer traduzir "tudo" para o
português seria algo subversivo. Isso pode ser elogio, mas também pode
ser perda.

Alexandre Magno


More information about the svn-pt_br mailing list